ONG busca informações sobre possível caso de cão queimado vivo em Rio Negro

Caso ocorreu na madrugada de segunda-feira na Vila Paraíso.

A ONG Riomafra Pelos Animais está apurando um possível caso de maus tratos, onde um cachorro pode ter sido queimado vivo em Rio Negro (PR), cidade vizinha de Mafra.

O caso ocorreu na madrugada de segunda-feira (28), na rua Mato Grosso, na Vila Paraíso. O animal, branco com manchas marrom, foi encontrado pela manhã, totalmente carbonizado.

Pelas redes sociais, o caso gerou bastante comoção e revolta, porém, ainda não é possível saber se o animal foi queimado vivo ou, já estava morto quando atearam fogo no seu corpo.

Conforme os registros, é possível ver que o cadáver do cachorro estava a pelo menos um metro distante de onde, aparentemente, foi ateado fogo.

Segundo a organização, apesar da revolta, ainda não há informações específicas e suficientes para registrar uma ocorrência na Polícia. “É uma região com várias ocorrências de maus tratos, mas, como a rua é pouco movimentada, até o momento ninguém se manifestou com alguma informação. Pedimos que, quem puder nos ajudar, pode entrar em contato conosco ou com as polícias Civil e Militar, garantimos o sigilo”, comentou uma das responsáveis pela ONG.

“Se tratava de um cachorro branco com manchas marrom, ele era um ser vivo, tão filho de Deus quanto todos nós, um cãozinho tão inocente quanto uma criança e que não merecia passar por toda essa tortura, dor e crueldade. Queremos que providências sejam tomadas”, destacou a ONG em uma postagem em uma rede social.

De acordo com a Polícia Civil, em toda a investigação de crime precisa existir uma vítima noticiante e, para responsabilizar alguém, é necessário que haja materialidade ou provas. Quanto a autoria, há necessidade do flagrante delito, testemunhas ou imagens que vinculem o autor à prática criminosa.

Quem tiver informações pode colaborar por ligação ou através do WhatsApp: (47) 3642-1557 ou ligando para o 190.

Da Redação Portal RDX com informações RioMafra Mix

Redação Portal RDX

Ler anterior

No Paraná, símbolos do autismo e deficiências podem ser incluídos no RG pela internet

leia a próxima

Fotos de prefeito e vice de Canoinhas presos vazam e viralizam na internet