Em menos de um mês, cancelas serão abertas e usuários deixarão de pagar pedágio no Paraná

Apesar da notícia ser boa para os motoristas, há a preocupação sobre a manutenção e os serviços de guincho e socorro médico. Foto: Geraldo Bubniak/AEN.

Os atuais contratos de pedágio no Paraná encerram no próximo dia 27 de novembro e, de acordo com o Governo do Estado, as cancelas serão abertas às 00h do dia 28 de novembro, ou seja, em menos de um mês os usuários não deverão mais pagar a tarifa para circular pelas rodovias paranaenses.

A medida deve valer por cerca de um ano, até que os trechos sejam assumidos pelas novas concessionárias. Após atraso no trâmite, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) postergou a previsão de assinatura dos contratos da concessão das Rodovias Integradas do Paraná para o quarto trimestre de 2022, como explica o secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva.

A expectativa é que no leilão o preço médio das tarifas cobradas no Paraná reduzam em 50%, além das obras. Mas o leilão e a entrada da nova concessão devem ocorrer somente no fim do ano que vem. Então, teremos um ano de intervalo onde a partir de 28 de novembro os paranaenses não vão pagar pedágio, porque voltam as rodovias para o Governo Federal e para o Governo do Estado”

A discussão do pedágio demorou mais do que o esperado em razão de impasses nas negociações entre o Governo do Paraná e o Ministério da Infraestrutura sobre o modelo a ser adotado.

Apesar da notícia da abertura das cancelas ser boa para os motoristas, há a preocupação sobre a manutenção e os serviços oferecidos, como guincho e socorro médico. Questionado pela Banda B, o secretário-chefe da Casa Civil garantiu que isso já está previsto no planejamento e que a população não ficará desassistida.

“Nós estamos com plano de transição, porque teremos que gerenciar as rodovias neste período. Mas todos os contratos de manutenção de pavimento e todas as questões relacionadas a atendimento médico e guincho já estão planejados. Devemos ter uma transição tranquila que garanta, enquanto a nova concessão não entra nas estradas, conseguir manter o atendimento adequado a população neste período”, ressaltou.

Pedágio gera briga judicial

Na última semana, o Governo, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), recusou a proposta da concessionária Caminhos do Paraná de continuar com a manutenção das rodovias por um ano, sem a cobrança de pedágio, como uma forma de perdão da dívida. Na ação, o Estado busca responsabilizar a Caminhos do Paraná pela não execução de 11 obras previstas em contrato.

“Como é que uma empresa deve R$ 2 bilhões de indenização e o estado vai perdoar essa dívida em razão de um ano de serviços gratuitos da concessão? A exploração por 25 anos das rodovias é imoral. É inadmissível que o Paraná retire as ações na Justiça por um ano de serviço”, destacou à Banda B.

A Caminhos do Paraná informou que não vai comentar o caso em razão de o processo judicial estar em andamento. No entanto, disse que das 11 obras, seis estão em andamento com previsão de conclusão em março do ano que vem.

Redação Portal RDX

Ler anterior

Horóscopo do dia 01 de Novembro (Segunda-feira)

Ler próxima

Um motorista morre e outro fica ferido após batida entre carro e caminhão, na BR-373 em Prudentópolis