Secretaria de Estado da Saúde divulga nota técnica para prevenção da gripe em crianças e adolescentes

Neste período do ano há um aumento de circulação de vírus que causam infecção respiratória aguda, especialmente em crianças e adolescentes. Para conter os casos de gripe deste público, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) publicou nesta quarta-feira (4) a Nota Técnica Nº 8/2022  com os cuidados gerais para a prevenção da transmissão da doença.

“Este ano estamos em uma situação diferenciada quanto às infecções respiratórias. Temos observado um número de ocorrências acima do esperado. Além da pandemia da Covid-19, tivemos a epidemia da H3N2, com o aumento dos casos de Influenza antes do período que normalmente ocorrem. Portanto, nosso cuidado é que as síndromes respiratórias não agravem, e para isso, alguns cuidados são essenciais” 

alertou o secretário de Estado da Saúde, César Neves.   

SARS-CoV-2, Sincicial, Rinovírus e Influenza são alguns dos vírus respiratórios circulantes no Estado. De acordo com o Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep) mais de 1.677 crianças de 0 a 4 anos já foram hospitalizadas de janeiro até abril deste ano. O número é 3,6 vezes maior do registrado em 2019, que contabilizou 467 hospitalizações para crianças dessa faixa etária. Em 2020 o número se manteve, e em 2021chegou a 1.218.  

A Nota Técnica orienta pais e responsáveis de crianças e adolescentes para a prevenção para cuidado em ambientes de convívio comum e higienização, além para o alerta dos sinais da doença. Elaborada pela equipe de Atenção e Vigilância em Saúde, o documento também aconselha sobre quais procedimentos a serem realizados.  

“Estamos trabalhando para orientar pais e responsáveis e também os profissionais de saúde de toda a rede de atenção à saúde para que tenham condições de cuidar de nossos crianças e adolescentes neste período de inverno”

disse a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa

INFECÇÃO – As infecções das vias aéreas superiores (nariz, garganta, ouvidos e seios da face) ou inferiores (brônquios e pulmão – pneumonia e bronquiolite viral) se manifestam com sintomas como secreção nasal, obstrução nasal, tosse, chiado no peito, dor de garganta, dor de cabeça, alterações do paladar e olfato e pode ou não apresentar febre associada. Algumas também podem apresentar vômitos e/ou diarreia.

A Sesa também divulgou a Nota Técnica Nº 7/2022   com orientações a serem adotadas pelos estabelecimentos de saúde durante a assistência aos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).  

Com informações AEN

Redação Portal RDX

Ler anterior

Vagas de emprego 05 de Maio (Quinta-Feira)

leia a próxima

Falecimento de Terezinha Marques Pietczak