Autor de feminicídio também tentou agredir equipe do Corpo de Bombeiros

A reportagem da RDX teve acesso a mais detalhes sobre o crime de feminicídio que aconteceu na quinta-feira passada, na localidade do Lageado, interior de São Mateus do Sul, e que vitimou Janaína Pedro dos Santos, de 27 anos.

O Corpo de Bombeiros de São Mateus do Sul foi acionado por volta das 22h50 e os bombeiros do Siate Juliano Ribeiro, Márcio Zaranski e Adilson Diachuka foram os primeiros a chegarem no local do crime. No momento em que foram acionados, os Bombeiros entraram em contato com a Polícia Militar (PM) para prestar apoio nesta ocorrência, mas por ser um local de difícil acesso e de vários entroncamentos, a PM chegou cerca de 20 minutos após o Siate.

Chegada até o local

Segundo informações da corporação dos Bombeiros, o primeiro chamado para a ocorrência era de que tratava-se de um disparo de arma de fogo, porém, somente chegando no local e conversando com os moradores que acionaram o Siate, que eles tiveram a informação de que tratava-se de um ferimento por faca. “Pedimos aos solicitantes para nos esperarem na escola do Lageado para nos levarem até o local onde aconteceu o crime”, diz Adilson.

De acordo com Adilson, os solicitantes disseram que o marido havia proferido os golpes de faca e que não estaria mais no local. Eles também informaram que o homem tinha sido visto em uma estrada, longe da residência. “Pensamos: a vítima pode estar esfaqueada e agonizando, o autor não está no local, temos segurança e vamos até lá”, relata o Bombeiro.

Os Bombeiros se deslocaram até o local e quando chegaram próximo ao corpo da vítima, que estava caído em frente a residência já sem vida, perceberam a presença de um homem. Os militares perguntaram qual era a ligação do homem com a vítima, quando ele disse que era o esposo.

Nesse momento que caímos em si que ele que era o agressor que desferiu os golpes de faca contra ela. Pedimos para ele erguer as mãos para poder ser revistado. Ele não acatou as ordens, começou a gesticular, perguntando quem somos”,

relata Adilson.

Momento depois ele se acalmou e foi levado até a varanda da residência.

Já na varanda, ele pegou e jogou contra mim uma banqueta. Até tentei se desvencilhar na hora, mas ele atingiu a minha perna. Foi de raspão. Nessa hora tivemos que utilizar força física para colocar ele de bruços no chão com as mãos em um lugar que pudéssemos ver.”

O homem foi imobilizado pelos Bombeiros até a chegada da Polícia Militar e Rotam. Os solicitantes voltaram até a escola do Lageado para acompanhar a chegada dos policiais.

Ainda de acordo com os Bombeiros, o homem fazia menção de que estaria armado. A equipe do Siate já prestou depoimento na delegacia relatando as ameaças.

O acusado, Juliano Portela, de 27 anos, também já prestou depoimento para a Polícia Civil e não disse o que motivou o crime. Testemunhas informaram para a Polícia que Juliano oscilava muito de humor e discutia com facilidade no cotidiano. A vítima não tinha boletim de ocorrência contra o autor, que era seu esposo.

O casal tem um filho de 4 anos, que segundo o delegado, não presenciou o momento do crime pois estava dormindo.

Ouça a reportagem:

Cláudia Burdzinski

Jornalista e Repórter RDX FM. Instagram: @claudiaburdzinski

Ler anterior

Três homens são executados na Lapa; uma das vítimas teria dívida de R$ 20 mil

Ler próxima

Pacientes reclamam da falta do fornecimento de senhas no Núcleo de Saúde da Vila Prohmann