“Perdi o melhor pai do mundo para a covid-19″, relata filha sobre morte de morador de União da Vitória

Eduarda, a única filha de Marco Antônio de Lima, de 56 anos, ainda não consegue acreditar que o pai foi mais uma vítima da doença em União da Vitória.

Duda, como é carinhosamente chamada, tem um vocabulário repleto de elogios à sua principal referência de vida.

“Ele tinha muitos amigos, era carinhoso, educado, focado do trabalho e tudo que ele fez, tenho absoluta certeza que foi em prol de mim, para os meus estudos. Sempre me incentivou a estudar e trabalhar”.

Duda atualmente mora em Curitiba (PR), onde é fisioterapeuta.

“Nas folgas, sempre estive aqui, em União da Vitória, juntamente da família”, afirma.

Marco Antônio nasceu em 28 de janeiro e era natural de União da Vitória. Era casado com Luciana Cunha Lima. A família e amigos seguem entristecidos com a sua partida no dia 11.

Apelido que o tornou conhecido no Vale do Iguaçu e na região. Marcão foi servidor da Câmara Municipal e da Prefeitura de União da Vitória, onde desde 2017, atuou como Secretário de Administração e Consultor de Administração.

Presença no esporte

Marco Antônio fez história como árbitro de futsal, sendo considerado um dos melhores do Paraná, com atuação em grandes jogos das chaves Ouro, Prata e Bronze do Campeonato Paranaense. Foi um dos árbitros que mais atuou em finais da Chave Ouro do Estado. Também comandou jogos de competições nacionais.

Covid-19

Segundo Duda, Marcão ficou por 38 dias internado no Hospital Regional São Camilo, após contrair a Covid. Dos dias de internamento, 20 deles foram na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele necessitou de intubação.

Redação Portal RDX

Redação Portal RDX

Ler anterior

Aulas continuarão no sistema remoto até 21 de julho, afirma SEMEC de São Mateus do Sul

Ler próxima

Homem vítima de atropelamento é transferido para União da Vitória