Engie começa a operar linha de PG a São Mateus do Sul

Sistema de Transmissão Gralha Azul está com 95% das obras concluídas Foto: Divulgação

Foi iniciada, neste segundo semestre, a operação comercial das Linhas de Transmissão entre Ponta Grossa e São Mateus do Sul do Projeto Gralha Azul, da Engie. A informação foi revelada na apresentação de resultados do 3º trimestre de 2021 da Companhia, onde a empresa também menciona outros detalhes referentes aos avanços das obras de toda a Linha de Transmissão Gralha Azul, cujas obras se aproximam do fim. O investimento total nas linhas de energia e subestações supera a casa dos R$ 2 bilhões.

Segundo informou a Engie em seu relatório, ao fim deste terceiro trimestre (final de outubro), a implantação do Sistema de Transmissão Gralha Azul atingiu 95% de avanço geral. No momento, prosseguem as obras civis e montagem eletromecânica das linhas de transmissão e subestações, atendendo os prazos previstos no contrato federal de concessão. As Linhas de Transmissão (LT) 230 quilovolt (kV) entre Ponta Grossa e São Mateus do Sul e a linha interna na cidade (Ponta Grossa e Ponta Grossa Sul), foram energizadas em 21 de agosto, iniciando a operação do empreendimento. 

Os testes de energização dessas linhas de transmissão, bem como das subestações de Ponta Grossa e São Mateus do Sul foram iniciados cerca de um mês antes, no dia 18 de julho, como foi noticiado pelo Jornal da Manhã e Portal aRede. A linha cruza municípios da região dos Campos Gerais e Centro-Sul do Paraná, entre eles São João do Triunfo, Palmeira e Teixeira Soares.

“A operação comercial da parte restante dos grupos de instalações de transmissão, que irão permitir o recebimento da RAP integral do projeto, está prevista para ocorrer ainda em 2021, garantindo antecipação planejada em relação ao prazo limite do contrato de concessão e adiantando a solução de suprimento da energia de Itaipu para o estado do Paraná”, informou a empresa, no relatório.

De acordo com a Engie, o prazo de concessão do serviço público de transmissão, incluindo o licenciamento, a construção, a montagem e a operação e manutenção das instalações de transmissão, é de 30 anos, contados a partir da data da assinatura do contrato de concessão, com prazo limite para início da operação da linha de transmissão em 9 de março de 2023.

Sistema tem cerca de mil quilômetros e 5 novas subestações

O Sistema de Transmissão Gralha Azul conta com um total de 15 linhas de transmissão, totalizando cerca de 1 mil quilômetros, e cinco subestações. Há duas tensões nas linhas: cerca de 526 quilômetros de 525 kV, e outros 474 quilômetros de 230 kV. Entre estas cinco subestações, há uma de 525 kV para 230 kV (2.016 megavolt-ampères – MVA), enquanto que as outras quatro são de 230 kV para 138 kV (1.350 MVA). Além da construção dessas subestações de energia, o projeto também contempla a ampliação de outras cinco subestações existentes.

Da Redação Portal RDX com informações ARede

Redação Portal RDX

Ler anterior

São Mateus do Sul registra novo óbito e zera número de casos ativos da covid-19

Ler próxima

Vagas de emprego 17 de Novembro (Quarta-feira)