Casal de Mafra que sonhava em ter uma família grande adota 4 irmãos para mantê-los juntos

Acervo Pessoal

Um casal de Mafra, no norte catarinense, adotou 4 irmãos de uma só vez para que eles não ficassem separados.

Desde que o processo de adoção foi oficializado, a família Macedo está em festa. Inclusive, no próximo fim de semana, eles prometem uma grande comemoração para celebrar a chegada dos filhos: uma menina de 6 anos, outra de 5 e gêmeos de 2 anos de idade.

A mãe é Kamila Kuhnen Macedo, assessora jurídica da 2ª Vara da comarca local, e o pai é André Fillipe Bertho Macedo, técnico judiciário no Tribunal Regional Federal da 4ª Região de Santa Catarina.

Ao portal Joinville Informações, eles disseram que seus familiares, espalhados por todo o Brasil, irão até Mafra para acompanhar o batismo das crianças.

“Estamos muito ansiosos com o encontro. As crianças perguntam todos os dias se é hoje que o vovô, a vovó, os tios e primos vão chegar. Desde quando entramos na fila para adotar, durante todo o processo de habilitação, não contamos a ninguém sobre a pretensão. Somente quando iniciamos o estágio de convivência é que compartilhamos a notícia, então foi uma emoção geral. Eram apenas dois netos, agora são seis. Uma felicidade muito grande”, comemorou Kamila.

Um ano de espera até a adoção

André e Kamila sempre sonharam em ter uma família grande. Quando conheceram o quarteto de irmãos, decidiram abraçar a oportunidade ao entrar na Justiça solicitando a guarda das crianças.

Adotar sempre foi uma possibilidade para a assessora jurídica, que já vivenciou alguns casos na família.

Já André conta que abraçou a ideia após algumas tentativas do casal para engravidar. “Foi então, em meio a uma conversa com uma colega de trabalho, que é mãe por adoção de duas meninas, que entendemos que nossos filhos não nasceriam do ventre de Kamila, mas sim que eles já estavam no mundo e que nós precisávamos encontrá-los”, recordou.

Ao todo, o processo de habilitação levou cerca de 8 meses, enquanto a adoção mesmo levou mais 4 para se concretizar.

“Temos uma curiosidade que chama a atenção de muitas pessoas: no mesmo dia em que fomos habilitados para adoção e nossos dados inseridos no Sistema Nacional, tivemos o perfil cruzado com o dos nossos filhos, e no mesmo dia fomos comunicados que ‘a cegonha tinha chegado’. Então, quando nos perguntam sobre quanto tempo ficamos na fila, nós respondemos que nem 24 horas, porque no mesmo dia em que entramos já fomos chamados”, celebrou Kamila.

Fonte: Joinville Informações/Razões Para Acreditar
Crédito das imagens: Arquivo pessoal / Família Macedo

Redação Portal RDX

Ler anterior

Mecânico morre esmagado por carro após veículo cair de elevador em oficina em Curitiba

leia a próxima

Copa do Brasil 2022: veja jogos das quartas até a final