EXCLUSIVO: Advogado Igor José Ogar fala sobre o caso Bruno Mendes, morto em outubro de 2021

Defensor divulgou a data da audiência sobre o crime, marcada para a próxima semana. Ouça a entrevista. Foto: Reprodução.

Em entrevista exclusiva à RDX FM na manhã desta quarta-feira (27), o advogado Igor José Ogar, trouxe novas informações sobre a morte de Bruno Kanigyan Mendes Alves, de 26 anos, que foi morto em uma chácara, em outubro do ano passado. Ouça a entrevista em áudio no final do texto.

Foto: Divulgação.

Segundo o defensor, o jovem foi convidado para ir a uma festa naquela data, quando foi assassinado por três pessoas, dois adultos e um adolescente, que juntos, teriam matado o rapaz a pauladas, garrafadas, socos e pontapés.

“Infelizmente o motivo da briga, segundo investigações da competente Polícia Civil e Ministério Público, é o que mais choca: Bruno teria sujado a calça de alguém, e com isso, foi morto de forma absurda, por acidentalmente ter sujado a calça de alguém. E os envolvidos, ainda desejavam enterrar o mesmo vivo, um crime absurdo”

relata.

Atualmente, dois envolvidos no crime estão presos e estão aguardando uma nova audiência, marcada para o dia 4 de maio de 2022. Já o adolescente, está respondendo o processo em liberdade.

“Infelizmente, por conta da legislação, o menor está em liberdade. Esperamos e acreditamos na Justiça dessa Comarca, e sabemos que estes acusados irão a júri popular, sendo, ao final, condenados. A pena que eles podem pegar, se condenados por esse bárbaro crime, pode chegar a 30 anos de reclusão”

cita o advogado.

A mãe da vítima, senhora Marcia Mendes, fez um desabafo sobre o caso, afirmando que aguarda com precisão, a conclusão deste caso.

“Eu como mãe, espero que a justiça seja feita por conta da morte do meu filho, e que os envolvidos paguem pelo crime que cometeram”

lamenta a mãe de Bruno.

O crime

Bruno Mendes foi agredido na madrugada do dia 10 de outubro, um domingo, enquanto participava de uma festa em uma chácara próximo à Vila Bom Jesus, em São Mateus do Sul. As agressões teriam ocorrido pela madrugada, mas foi levado ao Pronto Atendimento Municipal somente às 13h daquele dia.

Com as gravidades dos ferimentos, ele chegou a ser transferido com suspeita de morte cerebral ao Hospital Regional, em União da Vitória, porém acabou não resistindo, e entrou em óbito no dia 13 de outubro.

Em novembro de 2021, a Polícia Civil concluiu o inquérito policial da morte de Bruno, indiciando dois adultos por homicídio qualificado e corrupção de menores, e um menor de idade que responde por ato infracional análogo ao crime de homicídio qualificado.

Segundo o delegado Sérgio Luiz Alves, da 3ª Subdivisão Policial (SDP), vídeos que foram gravados e compartilhados nas redes sociais no local do crime, foram fundamentais para a elucidação da investigação. O inquérito foi encaminhado para a Justiça e Ministério Público que seguem com a tramitação.

Ouça a entrevista em áudio:

Edinei Cruz

Repórter e Locutor da RDX FM Instagram: @edineicruzsms

Ler anterior

Coronel Romulo Marinho deixa Secretaria de Estado da Segurança Pública

leia a próxima

Após fuga na cadeia em Rio Negro, 11 presos são recapturados e 2 estão foragidos