Paraná terá dois lotes de rodovias licitados até fevereiro

Dentro de sete meses, ou seja, até fevereiro de 2023, o Estado do Paraná já deve ter os primeiros trechos de rodovias concedidos à iniciativa privada. A previsão do Governo do Estado é de que pelo menos dois, dos seis lotes que serão licitados, já estejam com o contrato assinado e operando até o segundo mês do próximo ano. A informação foi confirmada pelo Secretário de Infraestrutura e Logística do Estado, Fernando Furiatti, que esteve reunido com empresários e lideranças locais em Ponta Grossa, na noite da última segunda-feira (11).

Durante o encontro, Furiatti detalhou o momento atual das concessões rodoviárias, que os vínculos estão no Tribunal de Contas da União (TCU) para análise. Depois dos pareceres do TCU e dos ajustes cabíveis, aí poderá ser lançado o edital, que deverá ficar aberto por alguns meses, para o estudo das empresas e consórcios para participar do certame, até que ele seja licitado na Bolsa de Valores (B3). As datas dos leilões desses lotes ainda não estão definidas, mas para ele, a expectativa é de que pelo menos dois lotes já estejam em operação em fevereiro do ano que vem. Dos seis lotes, três contemplam Ponta Grossa e a região (do 1 ao 3). 

“Temos um olhar especial pela cidade. Tudo que nós fazemos na infraestrutura do Paraná, que passa por Ponta Grossa, a gente faz com olhar dobrado, porque temos pleno conhecimento de que aquilo vai impactar na vida dos ponta-grossenses”, reforçou o secretário, que esteve acompanhado do deputado federal Sandro Alex, que o antecedeu na titularidade da pasta no Governo do Estado.

PR-090

O Secretário de Estado também dialogou com os empresários locais sobre uma alternativa logística para Paraná, uma via hoje não pavimentada que iria reduzir os custos logísticos do Estado, por encurtar regiões, especialmente os trajetos do Norte Pioneiro à Capital ou aos portos: a PR-090. A via liga Piraí do Sul a Bateias, em Campo Largo, em um trajeto de pouco mais de 110 quilômetros – hoje, pela PR-151 e pela BR-376, esse trajeto é de cerca de 170 quilômetros. Furiatti admitiu que se trata de uma obra cara, mas que continua sendo um sonho para os governadores paranaenses.

Investimentos na região chegam a R$ 1 bilhão

Sandro Alex, que estava presente no evento com as lideranças, ressaltou o trabalho feito pelo secretário e sua equipe, e destacou a necessidade da cidade se unir em prol do desenvolvimento da região. “Esta equipe hoje faz um trabalho espetacular, os números que eles apresentaram são muito extensos. Só em convênios os Campos Gerais têm R$ 100 milhões, além de outras obras que vão se somando, estamos falando de cerca de R$ 1 bilhão em obras. É um volume de obras importante”, reiterou.

LOTES

De acordo com a divisão estabelecida dos lotes, Ponta Grossa poderá ter três concessionárias atuando em seu território: uma no trecho entre Ponta Grossa e o Trevo do Relógio (BR-373), que contempla também a BR-277 entre Curitiba e o trevo em Prudentópolis (lote 1); outra na PR-151, entre Ponta Grossa e Sengés, que também inclui a PR-092 entre Jaguariaíva e Santo Antônio da Platina (lote 2); e a terceira na BR-376, cuja concessão inicia em São Luiz do Purunã e vai até Mandaguari (lote 3).


Com informações das assessorias

Redação Portal RDX

Ler anterior

VÍDEO: Dupla a cavalo assalta adolescentes no Paraná

leia a próxima

Cidade do interior do Paraná passa a notificar irregularidades do Estar Digital via app