Tragédia no PR: ouça o áudio enviado pelo policial para ‘justificar’ o motivo dos assassinatos

Fabiano Junior Garcia, policial que matou oito pessoas, nas cidades de Toledo e Céu Azul, no Oeste do Paraná, mandou um áudio para família antes de tirar a própria vida. Ouça detalhes:

“Família me desculpa, me desculpa. Mas eu não ia conseguir viver sem a Kassiele. Ela já não estava mais suportando o jeito que eu lidava com ela, não estava mais suportando se eu ia dar atenção pra ela ou não, e ela deixou a entender que ela não fazia questão de continuar comigo. Então, se é assim, como eu me dediquei toda a minha vida por ela e eu, dediquei de todo coração mesmo, eu desisti de pensar em qualquer outra pessoa, de pensar em pular a cerca, pra poder dar atenção, dar valor pra ela. Eu entrei em um momento de depressão, entrei nesse maldito jogo, para mim como uma válvula de escape para a depressão e me distanciei dela. E ela se acostumou com isso. E daí agora ela disse que tanto faz, então se ela tanto faz, ela não quis mais ficar comigo, ela disse que provavelmente iria separar, não iria ficar comigo do jeito que eu sou, eu sou com as coisas do meu jeito, então se é assim, eu já estava querendo fazer isso mesmo, porque eu já não consigo conviver com a situação da minha mãe. Eu vivo financeiramente ‘f*’, alguém iria ter que arcar com as despesas de tudo lá. Então pra não deixar peso pra ninguém, eu fiz isso…”

Em entrevista ao Grupo RIC, Hudson Leôncio Teixeira, Comandante Geral da PMPR (Polícia Militar do Paraná), falou sobre a chacina que aconteceu durante a noite de quinta-feira e madrugada desta sexta-feira (15).

“Ele trabalhou até às 19h e por volta das 23h entrou em contato com o cunhado e informou que havia matado a esposa, Kassiele Moreira de 30 anos, e a filha de um primeiro relacionamento dele, uma adolescente de 12 anos de idade. A polícia foi até o local e localizou os corpos. De lá, ele foi até a residência da mãe, que fica nas proximidades na área central de Toledo, onde matou a genitora a facadas, uma senhora e o irmão de 50 anos, com um disparo de arma de fogo. Saindo dali, ele foi até Céu Azul na casa dos avós maternos, onde matou uma filha de oito anos e o filho de quatro anos. Na sequência, retornou a Toledo, e começou a andar pela área central da cidade. As equipes da PM tentaram localizá-lo de toda forma, no entanto, durante as buscas, ele encontrou dois homens, de 16 e 19 anos, caminhando pela via e disparou contra ambos, que morreram no local.”

A arma utilizada no crime é da corporação da PMPR. Em nota, a PMPR (Polícia Militar do Paraná) informou que o militar não tinha histórico de problemas psicológicos e trabalhava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade.

Redação Portal RDX

Ler anterior

Fim de relacionamento pode ter sido o motivo da chacina cometida por PM no Paraná

leia a próxima

São Mateus do Sul tem 33.777 eleitores aptos para votar nas eleições de 2022, veja os gráficos